sábado, abril 09, 2011

Passageira das estrelas


A felicidade é sonho,
a madrugada é breve
e eu sou passageira das estrelas
com caminho definido
para nenhum lugar.

Sou flecha cortando
o horizonte.
Tão longe verás
que parti sem estar aqui
e que chego sem estar lá.

Sou movimento que feito,
não existe.
Sou um sonho,
dentro de um sonho.
A passageira das estrelas
sem parada, sem lugar

Sou luz que não acende.
Que acesa, não ilumina.
Que cega-te e serpenteia,
sobe pela tua espinha,
arrepia a tua orelha,
afoga tua solidão.

Sem nunca sair
de onde estava e
sem alcançar-te
toco o teu rosto
acaricio e mostro
a poeira das estrelas
no caminho
que não terminei de traçar.

A passageira de estrelas
que permeia tua presença
e diz adeus,
(desaparece nesse adeus)
mas continua lá.