domingo, setembro 27, 2009

Mar de mim

fotografia por: © PhotoAlto / SuperStock

Por Ana Marques

O que buscas
em mim,
que não encontra
em si mesmo?

Não te guardo inteiro.
Não me guardo intocada.
Destaca da minha imensidão
amada, idolatrada.

Salve! Salve!

Eus náufragos
submersos
mar adentro.

E o que não encontras
em si
não insistas
em buscar
no mar de mim.

segunda-feira, setembro 14, 2009

Inexprimível


Por Ana Marques para Tatiana Mamede

Na coragem que vive sob o punho
cerrado
Na força que vive no peito
fechado
Na verdade que vive nos olhos
petardos

No deslumbrante observar desses movimentos
No intenso murmurar desses momentos
Na imensa descoberta do interno abismo

Mais que um coração pleno...
Uma vontade férrea,
uma sonoridade eclética.

O que és, não vejo, não te compreendo inteira,
porque és derradeira, plena, intensa.
Um ser que se abriga na imensidão.