domingo, setembro 27, 2009

Mar de mim

fotografia por: © PhotoAlto / SuperStock

Por Ana Marques

O que buscas
em mim,
que não encontra
em si mesmo?

Não te guardo inteiro.
Não me guardo intocada.
Destaca da minha imensidão
amada, idolatrada.

Salve! Salve!

Eus náufragos
submersos
mar adentro.

E o que não encontras
em si
não insistas
em buscar
no mar de mim.

4 escritos:

Anônimo disse...

Tambem é complicado tirar cmclusoês precipitadas! desculpe poressa data novamente.

Alan Salgueiro disse...

Primeiramente é ótimo ver-te na ativa novamente, tava com saudade da sua poesia, Persephone!

O final dessa foi lindamente avassalador, esse universo do mar é um cenário que já inebria facilmente meu coração pisciano. Além disso, uma mensagem de auto afirmação, contra a dependência dos amores meramente caridosos.

Persephone disse...

Alan,

O que podemos buscar nos outros?
Por que não desenvolvemos em nós?

Por que o tempo que desperdiçamos recriando o parceiro, não utilizamos para nos aprimorar?

Obrigada pelo comentário!

Persephone disse...

Anônimo,

hehehehehehe

:)