quarta-feira, abril 26, 2006

O Mundo e os mundos infinitos


X
O segredo da Busca é que não se acha.
Eternos mundos infinitamente,
Uns dentro de outros, sem cessar decorrem
Inúteis; Sóis, Deuses, Deus dos Deuses
Neles intercalados e perdidos
Nem a nós encontramos no infinito.
Tudo é sempre diverso, e sempre adiante
De [Deus] e Deuses: essa, a luz incerta
Da suprema verdade.

XI
Nos vastos céus estrelados
Que estão além da razão,
Sob a regência de fados
Que ninguém sabe o que são,
Ha sistemas infinitos,
Sóis centros de mundos seus,

E cada sol é um Deus.

Eternamente excluídos
Uns dos outros, cada um
É universo.

Fernando Pessoa
Retirado de: Primeiro Fausto, Primeiro Tema, O mistério do Mundo. Versos X e XI.
Fonte: http://www.jornaldepoesia.jor.br/fpesso48.html

Interpretação: a chegada ao fim da Jornada é ao mesmo tempo recompensadora e frustrante. Estar no Arcano XXI - O Mundo - é perceber que como cascas de cebolas, existem inúmeros outros mundos a serem conquistados, vividos, encontrados. Chegar ao fim foi apenas uma outra forma de começar novamente.
Só nesse momento fica claro que a eterna briga entre o Louco ser o Zero ou o XXII é pura ilusão. O Louco está nas duas pontas mostrando que o Mundo não é o final, mas apenas uma ponte para novas e inesperadas descobertas.

0 escritos: