domingo, agosto 20, 2006

Tanto escândalo... por que?

Há cerca de um mês atrás, uma mulher deu um depoimento ao final do capítulo da novela "Páginas da Vida". Esse testemunho gerou um escândalo entre os telespectadores que me deixou bastante surpresa. Ouvi durante dias que palavras impróprias haviam sido usadas. Outros comentaram o tanto que era inadequado para o horário as coisas que haviam sido ditas. Outros ficaram constrangidos por haver crianças presentes, que começaram a fazer perguntas.

Os motivos apresentados foram variados, mas o que levou à tanta revolta permanece obscuro. Resolvi assistir ao depoimento (disponível na internet no seguinte endereço: ttp://www.youtube.com/watch?v=ljVhtHzT6I8&mode=related&search), e não consegui encontrar nele nada de tão abominável ou indecente que justificasse as reações que observei. O testemunho era de uma mulher de 68 anos admitindo que gozou pela primeira vez aos 45 anos sozinha? Que ela não precisa de homem e dá "o seu jeito"?

Pensando nisso me fiz várias perguntas:

1) O que incomoda é a idade? Já que normalmente associa-se a imagem de idosos à pessoas assexuadas?

2) Ver uma mulher falando sobre a incapacidade existente em muitos homens - principalmente os mais machistas e antiquados - em fazer uma mulher gozar?

3) Falar sobre sexo, e sobre masturbação, no horário nobre?

4) A partir do comentário dessa senhora, ter que ouvir e responder as perguntas das crianças sobre o assunto?

A minha conclusão acaba sendo uma união de todas essas perguntas. A meu ver, uma senhora falando sobre masturbação no horário nobre, dizendo que homem (para o prazer) é desnecessário e motivando perguntas de crianças é indesejável.

Ninguém gosta muito de reconhecer que existe vida - e muita! - após os sessenta. Na nossa sociedade os idosos são vistos como aqueles que atrapalham, que não têm mais agilidade para pensar-executar-trabalhar, que deviam ficar em casa vendo TV.

Quem realmente deseja falar abertamente sobre a sexualidade e o prazer feminino? Sobre o papel preponderante do homem machista e egoísta, na falta de prazer da mulher com o sexo? Sobre como a sociedade ainda impõe o papel das mulheres como sendo apenas o da mãe, da boa esposa e da filha, separando-a da mulher da rua que gosta dessas coisas. Como, por conter em si a culpa do pecado original, a mulher não tem direito ao prazer. Para uma grande maioria ainda somos putas se formos para cama com um cara no primeiro encontro, se formos para a cama com vários caras, se nos der prazer o sexo pelo sexo. O prazer feminino ainda é escondido, secreto, vergonhoso, sujo.

Quem quer saber de sexo? Quem quer explicar o sexo? Quem quer que meninas e meninos saibam que o prazer solitário é possível e o que isso significa? Quando eu era criança escutava piadas sobre pêlos nas mãos antes de sequer entender o que seria masturbação. Ainda vejo pais e mães constrangidos para falar sobre sexo com seus filhos, e isso me deixa estupefata. Onde eles vão aprender se não for conosco, os adultos? Na rua, nas revistas, com os amigos que sabem tão pouco quanto eles? Essas crianças vão ser orientadas assim? O sexo é banalizado o tempo todo, por grupos de axé ou funk que fazem dele meio de comércio e fama. Meninas são erotizadas usando roupas de adulto e quando são incentivadas a imitar dançarinas de coreografias duvidosas. Os meninos são constantemente erotizados quando os pais estimulam que chamem outras mulheres de gostosas ou adjetivos parecidos. Tudo isso é bonitinho. Falar claramente sobre o que é exatamente esse tal de sexo é feio.

Ou seja, mulheres ficando nuas nas novelas, pode. Sexo entre jovens, adultos, casados, solteiros... pode. Crianças assistindo e vendo tudo isso, pode.

Agora, o depoimento simples, claro e direto a respeito da vida de uma pessoa - apenas por cutucar tantos tabus - é imoral, indecente, impróprio?

A conclusão é óbvia: sendo subliminar, dando audiência e com um conteúdo indireto, pode. Agora, se o que aparecer for mostrado absolutamente sem maquiagem... aí é melhor botar a boca no trombone, porque a sociedade hipócrita está esperneando e a censura logo vai entrar no ar.

3 escritos:

Une Joie disse...

Não vi o depoimento, nem a novela... mas tenho visto muitos comentários a respeito. De qualquer maneira (mesmo!), acho que a depoente tocou em um ponto sensível à mulher dos dias de hoje. Aquele que a condena (por sua escolha?) a alcançar a perfeição impossível de beleza e juventude. Do contrário, não haveria felicidade. Esquecemo-nos todos de que a perfeição do corpo e do tempo não existe, nem é necessária... Esquecemo-nos de que viveremos mais e havemos de fazê-lo melhor para além do tempo de 20 aninhos... Quase esqueço-me dos impropérios que ouvi dizerem à Madonna, pela ousadia da idade que tem.
É, parece que o melhor remédio seria envelhecermos, e rápido, a fim de ver se ganhamos alguma sabedoria e, com ela, quem sabe, alguma liberdade, ou o sonho dela apenas. Nem que seja para o sexo.

Tir Duan disse...

Não há o que acrescentar à sua opinião. A sociedade patriarcal em que digladiamos realmente acha que sexo, para a mulher, por prazer e após os 40 é indecente e coisa de "mulher que não é direita".
Não sei se acho isso ridículo, ofensivo ou abominavelmente estúpido...

danyzyinha disse...

Não assisto muita TV durante à noite por isso não vi esse depoimento, mas também escutei algumas coisas a respeito dele.
Gostei do seu ponto de vista e concordo com ele. Antigamente cortavam o clitoris da mulher para ela não sentir prazer, fazem isso ainda em alguns países dizendo que uma mulher só serve para procriar e não pode sentir prazer. De certa forma, esse preconceito ainda existe, mas de maneiras diferentes.
Beijinhosss