quinta-feira, março 22, 2007

Estruturalismo - Estudos Organizacionais

Sistematização
1) Visite uma organização em sua cidade ou, se preferir, faça uma visita virtual, acessando algum site de sua preferência. Pode ser uma escola, um hospital, uma empresa pública ou uma empresa privada ou do terceiro setor. Analise sua forma de funcionamento, sua organização e, depois, compare esses elementos identificados com a visão que você tinha do que é estrutura, conceito trabalhado nesta aula.Quais os pontos observados que reforçam este conceito?
2) Você incluiria algum ponto observado por você para ampliar o conceito trabalhado na aula?
Trabalho na Brasil Telecom. Gasto uma parte infernal do dia atualizando softwares e planilhas e documentos que controlam outros documentos que controlam solicitações que controlam usuários que controlam vendas que controlam clientes.
Ufa!
Estruturalmente falando, está claro o tanto que as organizações possuem departamentos e controles infinitos para efetuar as "corretas" interdependências de forma que o trabalho ocorra sem traumas e com a maior eficiência possível. Todo esse controle, que citei ali em cima, serve para isso. Para que o fluxo seja contínuo e "organizado", além de bastante documentado para que todos tenham certeza do que todos estão fazendo.
Assim a abordagem estruturalista - que une a estrutura organizacional com a interferência humana - prima por falar que a estrutura é maior que a soma das suas partes. É bom lembrar que as partes somos nós: seres humanos.
"O Todo é maior que a soma de suas partes"
(frase destacada na matéria como sendo utilizada pela maioria dos autores estruturalistas)
Não me entendo bem com esse conceito. E logo abaixo explico porquê.
Para qualquer empresa, seu objetivo maior é mais importante que as pessoas que possibilitam o alcance desse objetivo.
O funcionário, genericamente, é tratado como o inimigo. Aquele que vai errar, trazer problemas, fazer malfeito, esconder erros. Trabalha-se para evitar o erro, que certamente virá.
Por quê?
Por que nas organizações pessoas trabalham contra pessoas em prol da organização?
Por que em vez de treinar e capacitar pessoas, em vez de tratar pessoas fazendo com que elas tenham responsabilidades, em vez de buscar fazer de suas partes as melhores partes possíveis destaca-se o que há de pior?
Por que a soma das partes é menor que o TODO?
Por que o TODO se arvora na importância maior de um deus supremo?
Por que as pessoas - que são as verdadeiras responsáveis pelo sucesso de qualquer empreendimento - são sempre penalizadas nele? São as pessoas que transformam matéria prima em produto de venda, são as pessoas que vendem os produtos de venda, e finalmente são as pessoas que compram o que quer que se esteja vendendo.
Não existe organização alguma sem pessoas que façam parte dela.
A organização não é maior que as suas partes.
Ela é o resultado delas.
Minha crítica ao estruturalismo vai aí. Parte que é parte, se deixar de existir, vai mutilar o TODO.
Que todo tão maior é esse?
Uma hora dessas vou criticar outro aspecto disso: a idéia (absurda) de chamar pessoas de recursos.
Outra hora, agora está tarde, de novo.

2 escritos:

Diannus do Nemi disse...

belo blog!

parabéns, os textos são muito bons mesmo.

abençoada sejas..

Orlando G. da Silva disse...

E entã Ana. Como está seu pensamento hoje quanto a isto?!