sábado, fevereiro 24, 2007

Primeiro dia na faculdade e o sono que não vem.

Madrugada. Amanhã primeiro dia na faculdade nova. Curso novo. Novos desafios.

Ainda não conciliei o sono. Estou cheia de expectativas, de planos, de possibilidades.

Fora lances novos do trabalho que preciso - e quero! - desenvolver.

Para que eu fique tranquila, e volte ao meu torpor típico da 1 da madruga é importante o amor também largar o blog dele e vir deitar.

O corpo dele me esquenta, eu relaxo, e então conseguirei dormir.

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Quando me abandono

Do amor que eu vislumbro
nos teus olhos, meu espelho
nos delírios do teu sonho
Em momentos de abandono...

Me abandono nos teus sonhos?
Ou declaro os teus desejos?
Serei eu o seu espelho?
Ou você a minha sombra?

Nos teus passos, minha vida
e repasso cada instante.
Um discurso, uma constante
Entristece e me abandona.

Vejo você na minha frente,
quando acordo dos meus sonhos.
Você em cada repente,
quando me abandono...

No abandono em que te sinto.
Nos meus sonhos, que deliras.
Vejo tua fronte serena,
mergulhada em minha vida...

Abandone-se ao som de Encostar na tua - Ana Carolina

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Olhos Frios

Rostos do passado
impregnados
um tempo nebuloso.
Vozes que não ouço.
Mal posso sentir,
longe.
A paisagem aquece
e engana.
A luz se apaga.
A noite esconde
no horizonte
um deserto de almas.
Minha alma.
Vagando em busca
do que não tenho.
Solidão do que não ouço.
Sombras...
Posso divisar
o fundo das lembranças,
busco rostos,
não vejo.
Olhos amigos,
não vejo.
Conhecida
a dor no peito.
A noite chegou.
Vislumbres passados
Abrigos
olhos amigos.
O peito aquecia,
hoje se resfria.
Olhos frios.
Não estão comigo.
Frios poços.
Poços mudos.
Vozes perdidas,
Em noites frias.
Sorrisos inexpressivos.
Olhos frios.
Inverno que chega
e não vai.
Não mais.

Pense no que leu, ouvindo Vozes de uma dor - Vega