domingo, abril 27, 2008

Passos combinados

Por Ana Marques

Nossos passos combinavam.
Os atos se entretinham
em dias de descaso
sonhos me sorriram.

Os meus dedos na cama
corpo perdido no seu
suor: cheiro de vida
tempo que se encolheu

Vida fora da vida,
minutos não eram nossos,
a mentira transformista
merecia fim mais dócil...

Para quê fim mais dócil?
A transformista morria...
tempo roubado do fosso
da vida esmaecida

Tempo disse adeus
ao suor já sem vida.
O corpo perdido do seu,
dedos na cama vazia.

Sonhos se despediram
descaso desarmado.
Atos que nos fugiram
dispersaram nossos passos.

Nas ruas sem esquinas
seguindo ao fim da linha.
Buscando atalhos em ruas.
Atalho para ser sua...

ainda ser sua...

1 escritos:

UNIVERSO PARALELO disse...

"Escrever é também não falar.
É calar-se.
É gritar sem ruído"

Marguerite Duras