quinta-feira, abril 17, 2008

Perfeita mentira

Espiralando em mil pedaços
escorraçando a alma partida.
Minha crença numa missão
foi rechaçada na solidão:
ninguém chama, clama, precisa.

Espiralando fora do tempo
queria encontrar uma razão.
Me vi sozinha, sem destino.
Placas vazias demarcando o caminho
repleto de espaço vazio.

Eu não os vejo. Eu não enxergo.
Eu não suporto... e desatino.
(agora eu grito!)

Espiralando na vida alheia.
Mentiras, opiniões, que ninguém quer.
Importante me faço, mas não me sinto.
Importante quero, mas não consigo.
Grito venenos a quem aparecer.

Espiralando no meu passado.
Não busco erros, mas respostas.
Justificativas para minha insânia
quero vender minha ganância
como se fosse uma galhofa.

Eu sou perfeita. Estou acesa.
Repleta e plena.
(de quê? não sei.)

Espiralando, vida afora.
Olhar para dentro e ver o que?
Esqueço o tempo que eu jogo fora.
A vida que vivo, o meu agora
não tem sentido para viver.

Espiralando, espiralando...
volteando na luz e me queimar.
O que eu busco é a saída,
espiralar fora dessa mentira.
Não ter mentiras para contar.

Mentira? Mas que perfídia!
Eu sou perfeita. Repleta e plena.
(repetir, repetir... para acreditar)

1 escritos:

Paulo Sidney disse...

Parabéns pelos seus escritos e rabiscos, gostei do que vc escreveu.

bj