quarta-feira, junho 11, 2008

Possuir

fotografia por Bragi Thor Josefsson

Por Ana Marques

Não me possua,
inspire-me.
Não sou tua,
sou viva.
Meu corpo pertence,
não a ti
ou às tuas mãos.

Pertence à roda do tempo
que fenece as flores
e pertence a mim,
enquanto as Moiras
me permitirem
passear
pelas colinas sem fim.

2 escritos:

Esmeralda disse...

Ando a dar “cuscadelas”, deparei-me com estas tuas linhas.
Gostei muito.

O corpo é um corpo que ao destino pertence…

Anônimo disse...

webers apricots cashflow original isaiahs lekarstva pharmacy rhassociates vigorously stories tools
semelokertes marchimundui