quinta-feira, fevereiro 02, 2012

Miragem



Quase uma miragem
e eu o vejo dissolver
... tal fumaça sem corpo
[aparente]
sem mãos
para alcançar-me.

... e eu sonho delírios
que desconheço
vou criando caminhos
e atalhos
num quarto de despejo.

Aonde guardo nossa história.
Nosso querer desconhecido
e escondo os abraços
[que não dei]
amarrados aos beijos
[que escondi]
à porta fechada.

1 escritos:

Denis disse...

Olá.

Muito bom!!!

Parabéns pelo texto e uma boa tarde.

Morpheus